Mutirão da Catarata do CISAMESP tira 96 pacientes da fila

Ação do Consórcio de Saúde é o primeiro passo no trabalho que pretende acabar com a fila nos 32 municípios que o integram. Procedimentos realizados na Clínica Zambrana foram comandados pela equipe do médico Hernani Dias




A aposentada Maria Glacilda levou um susto ao cair do último degrau da escadaria da Igreja Matriz de Santa Rita do Sapucaí. Por sorte, não se feriu. A queda, no entanto, era mais um sinal de alerta do que o avanço da catarata em seu olho esquerdo poderia provocar. Há um ano e meio na fila de espera para a cirurgia que poderia pôr fim às dificuldades para enxergar, na manhã desta quarta-feira (12), Glacilda, de 67 anos, era uma entre os 96 pacientes da região atendidos gratuitamente pelo 'Mutirão da Catarata', realizado pelo Consórcio Intermunicipal de Saúde dos Municípios do Médio Sapucaí, o CISAMESP, na Clínica Zambrana, em Pouso Alegre.


Ação adotada para eliminar as filas que se avolumam na região, o mutirão contratado pelo Consórcio realizou 96 procedimentos entre terça (11) e esta quarta-feira (12). “Há dois anos, nenhum mutirão era realizado com apoio do governo federal, como ocorria em anos anteriores. As filas foram aumentando. Então, o consórcio decidiu chamar a responsabilidade para si e atuar para atender esses pacientes”, explica o presidente do consórcio e prefeito de São Sebastião da Bela Vista, Augusto Hart. Para ele, o mutirão é um símbolo de como a união entre os municípios pode ajudar a resolver os problemas da população mesmo em um momento de forte crise como o atual.


O mutirão


Pouco antes das seis da manhã, a equipe de médicos e enfermeiros quebravam o silêncio matutino com uma oração concentrada. A prece antecede todos os mutirões comandados pelo médico Hernani Dias de Souza. Antes do dia raiar, os primeiros pacientes chegavam à sala de cirurgia. “Um atendimento muito bom, com muito cuidado. Ficamos todos muito satisfeitos”, conta a moradora de Tocos do Moji, Lázara Silva, de 55 anos. Ela estava há cinco meses na fila de espera.


Quem também aguardava pela cirurgia há cinco meses era o aposentado Benedito Fabrício, também de Tocos do Moji. Aos 77 anos, ele havia operado o olho direito no final de 2016, em Poços de Caldas. No mutirão organizado pelo CISAMESP, ele finalmente operou o olho esquerdo, restaurando completamente a visão que, há pouco tempo, praticamente tinha se esvaído, impedindo-o de executar tarefas banais do dia a dia.


O diretor-executivo do Cisamesp, José Carlos de Oliveira, tem mais de 30 anos de experiência em saúde pública. Ele conta que os problemas oftalmológicos são muito comuns entre a população. Entre os idosos, a catarata é o mais recorrente. “Identificamos uma grande demanda nesse segmento. Para atendê-la, estamos investindo em um equipamento de alta precisão para exames oftalmológicos e programamos como os mutirões para acabar com as filas por procedimentos eletivos”, conta.


O Mutirão da Catarata integra um programa maior, chamado pelo CISAMESP de 'Mutirão da Saúde'. Além das cirurgias de catarata, em sua primeira fase, a ação deve realizar 1,6 mil exames oftalmológicos e 1,4 mil ultrassonografias. Um segundo Mutirão da Catarata já está agendado para os dias 25 e 26 de abril.


No mutirão desta semana, foram atendidos pacientes de Tocos do Moji, Santa Rita do Sapucaí, Bom Repouso, Pouso Alegre e Estiva. A ação, no entanto, está aberta para os 32 municípios consorciados ao CISAMESP. “É uma vitória. Depois de tantas dificuldades, hoje consegui resolver esse problema que me perseguia. Só posso agradecer”, se emociona a aposentada Maria Glacilda.



Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square